Geografia

​​Mourão é concelho raiano da margem esquerda do Rio Guadiana, transformado no maior lago artificial da Europa. Aqui, a planura das águas é mais larga, tornando a Vila de Mourão ribeirinha, sob o olhar altaneiro e vigilante do Castelo de Mourão.

Coreto - Jardim Municipal

​​Mourão é concelho raiano da margem esquerda do Rio Guadiana, transformado no maior lago artificial da Europa. Aqui, a planura das águas é mais larga, tornando a Vila de Mourão ribeirinha, sob o olhar altaneiro e vigilante do Castelo de Mourão.


Património Paisagístico

Do alto do Castelo de Mourão desfruta-se uma grande panorâmica sobre a paisagem envolvente. Assim, para além da vista a sul sobre o casario de Mourão, agarrado às faldas do Castelo, para norte observa-se o mar de água do rio Guadiana que o Alqueva aprisionou e o Castelo e Vila de Monsaraz localizados no alto de uma elevação de declive muito acentuado e com quem o Castelo de Mourão estabelece cumplicidades há muito tempo. Abraçando a água, estão os campos de cultivo que do lado norte apresentam formas irregulares de acordo com o relevo, delimitados por muros de pedra seca de xisto com oliveiras “entaladas”, que foram para aí “empurradas” de forma a deixar livre o terreno para o cultivo dos cereais. A sul, envolvendo a vila, os campos de cultura ocupados essencialmente por olivais e vinhas, são de forma regular e pequena área determinados quer pela topografia, já que o relevo se apresenta aplanado, quer pelos solos que são de muito boa qualidade o que terá levado a sucessivas partilhas ao longo das gerações.
 
A fronteira a Este com Espanha, em grande parte é administrativa, já que não existem acidentes naturais importantes a determinar o seu traçado. Assim, ao passar para o “lado de lá”, o que distingue de imediato e nos leva a saber que estamos em Espanha é a língua, que se impõe como identidade cultural a cada um dos povos aqui tão próximos. Foi esta situação natural de fronteira aberta com unidade na paisagem e sendo a Espanha simultaneamente uma tentação e uma ameaça que levou à construção e fortificação do castelo de Mourão, marco importante na paisagem.
 
A partir das ligações viárias destaca-se a imagem da Vila ao longe, que dá diferentes leituras consoante o ponto de vista. Assim, a partir da estrada que vem de Reguengos de Monsaraz o que se observa é o Castelo, solitário, dominante numa encosta de declive acentuado. Do lado da estrada que liga com Espanha e com a Granja a imagem é diferente, já que o Castelo aparece como o Senhor calmo do casario que se estende pela encosta e se espraia pela planície suavemente ondulada.
 
Quando se sai da vila de Mourão em direção a Espanha é possível ter uma visão abrangente da estepe cerealífera de São Leonardo, que se prolonga pelo país vizinho. O relevo pouco pronunciado propicia a existência de solos rentáveis às culturas de sequeiro, encontrando-se algumas parcelas ocupadas por regadios que extraem água de pequenas albufeiras espalhadas na paisagem.
 
A nova Aldeia da Luz e a Granja são rodeadas por campos cerealíferos, tendo a Luz uma importante área com novos olivais e vinhas que foram implementados no âmbito do projeto de Alqueva.
 
Estas características da paisagem que lhe conferem grande interesse cénico, faz com que o concelho de Mourão apresente grande potencial para o turismo, nomeadamente passeios de natureza, atividades cinegéticas, piscatórias e desportos náuticos.
Espaços Verdes

Mata de S. Bento – parque recreativo e de lazer inaugurado em 2003, equipado com parque infantil e juvenil (respeitando toda a legislação em vigor), parque de merendas, zonas ajardinadas, edifício de receção e W.C.
 
Jardim da Praça da República – “pequeno pedaço de paraíso” sempre em flor, situado no coração da Vila, é um dos locais mais estimados e vividos da Vila de Mourão.
 
Largo Rogério Bação Barreto – Situado no centro de um novo bairro, este pequeno jardim emoldurado pelas moradias, surge como um espaço de lazer, amenização e valorização do bairro.
Sistema de Informação Territorial

Os Serviços Técnicos da Câmara de Mourão estão a desenvolver em colaboração com a AMDE (Associação dos Municípios do Distrito de Évora) um Sistema de Informação Geográfica, que permitirá melhorar a capacidade dos serviços obterem, tratarem, cruzarem e fornecerem informações sobre o território concelhio e os instrumentos de ordenamento a ele afetos, em formato digital.

Áreas de Paisagem Protegida [1]

A margem esquerda do Guadiana é uma das regiões mais bem conservadas do nosso país do ponto de vista dos habitats naturais e de maior importância para a fauna. A região compreendida entre Mourão, Moura e Barrancos é composta por paisagens distintas e essenciais para a conservação da avifauna, e como tal considerada como merecedora de conservação ao nível comunitário pelas suas características, daí justificar-se a sua classificação como ZPE (Zona de Proteção Especial para as Aves). Uma parte muito relevante das espécies ameaçadas no nosso país encontra abrigo na diversidade de habitats da região, que inclui estepes cerealíferas de sequeiro, montados de azinho, formações florestais densas e vales de ribeiras torrenciais revestidos de matagais densos e vegetação ripícola e agora o grande plano de água do Alqueva, Um dos habitats mais característicos desta ZPE é as estepes agrícolas resultantes das culturas cerealíferas de sequeiro: tipicamente trigo e aveia.
Clima

Mourão insere-se numa região caracterizada pela existência de um clima mediterrâneo de feição continental devido à passagem de massas de ar quente provenientes de Leste, alteradas pela influência orográfica dos planaltos da Meseta Sul. Assim, salienta-se a grande amplitude térmica ao longo do ano com elevados valores da temperatura média nos meses quentes e secos de Verão e temperaturas baixas de Inverno e valores anuais de precipitação baixos concentrando-se em poucos meses no Inverno num regime, por vezes, torrencial.
 
Estas características climatéricas fazem com que as estações intermédias da Primavera e Outono sejam particularmente agradáveis.
Geologia [2]

O concelho de Mourão é muito uniforme, constituído maioritariamente por xistos e grauvaques, existindo no entanto áreas significativas dominadas por formações sedimentares”
Relevo

O território apresenta um relevo suavemente ondulado entrecortado por cursos de água mais ou menos acidentados de que se destacam as encostas do Rio Ardila e dos seus afluentes no extremo sul do concelho, e o Rio Guadiana com o seu leito encaixado. No entanto, o Guadiana e os seus afluentes transformaram-se numa albufeira cujas águas escondem esses acidentes de relevo.
 
A freguesia da Granja, na parte sul do concelho, apresenta as cotas mais altas, correspondendo o Posto fiscal do Garducho ao ponto de cota mais elevada. Na freguesia de Mourão destaca-se o Posto Fiscal de S. Leonardo, junto à fronteira e o Castelo de Mourão, donde se perspetivam amplas vistas sobre a paisagem envolvente.
Solos

Os melhores solos com a classe de capacidade de uso A e B localizam-se na freguesia de Mourão, numa grande mancha contínua a sul da Vila, espraiando-se até à fronteira e entrando na freguesia da Luz. Na freguesia da Granja restringem-se à volta da aldeia, numa área pequena. As grandes manchas de solos com fraca capacidade de uso (D e E) da freguesia da granja estão vocacionadas para a pastorícia, existindo inclusive várias ganadarias.

Vegetação [3]

A vegetação corresponde a formações arbóreas do tipo carvalhal perenifólio de domínio da azinheira e de carvalho cerquinho e/ou do sobreiro, podendo incluir elementos caducifólios como o pilriteiro e mesmo o ácer (em particular junto aos corgos e outras linhas de água torrenciais) e igualmente elementos perenifólios medronheiro, Aderno, folhado, sanguinho das sebes, etc…
Junto a linhas de água permanentes (ou quase) ocorrem para além da carvalho cerquinho, salgueiro negro,  salgueiro branco, amieiro, ulmeiro, freixo, silvas, roseira brava, etc…
 
 
[1] Este texto foi adaptado do “Roteiro com as aves do Alentejo”, CEAI.
[2] Este texto foi adaptado dos capítulos “Geologia” , volume de Estudos Ambientais dos Estudos Prévios do Plano Diretor Municipal de Mourão
[3] Este texto foi adaptado dos capítulos “Fauna” e “flora e vegetação”, volume de Estudos Ambientais dos Estudos Prévios do Plano Diretor​ Municipal de Mourão