11 fevereiro 2015

XVI Certame Literário Luso-Espanhol “José Antonio de Saravia”

Mais um ano, remontando o seu início ao ano mítico de 1992, o Ayuntamiento de Villanueva del Fresno (Espanha) através do seu Pelouro da Cultura e a sua Universidade Popular, contando desta vez com a colaboração do Município de Mourão (Portugal) e da Diputación de Badajoz, apresentamos a XVI edição do certame Literário Luso Espanhol “José António de Saravia”.

​Mais um ano, remontando o seu início ao ano mítico de 1992, o Ayuntamiento de Villanueva del Fresno (Espanha) através do seu Pelouro da Cultura e a sua Universidade Popular, contando desta vez com a colaboração do Município de Mourão (Portugal) e da Diputación de Badajoz, apresentamos a XVI edição do certame Literário Luso Espanhol “José António de Saravia”.

Neste ano de 2015 o mundo das letras está em festa, já que se cumprem  diversos  aniversários importantes. De entre estas efemérides destacam-se os 400 anos da publicação da segunda metade de D. Quixote,  de Miguel de Cervantes,  uma das obras cimeiras  da literatura  espanhola  e universal publicada em 1615. O mundo prepara-se para celebrar os 500 anos do nascimento duma santa, que em simultaneo também foi uma das mais notáveis poetisas que a humanidade nos ofereceu:Santa Teresa de Jesus, também conhecida por Teresa de Ávila. Notável é também o centenário  de uma das obras emblemáticas de Franz Kafka, “Metamorfose”, um desafio à racionalidade moderna.

Imersos  neste panorama  literário  tão importante,  do Ayuntamiento de Villanueva  del Fresno continuamos a apostar na cultura e por isso, não podíamos pôr de lado o nosso já célebre Certame
Literário  Luso-Espanhol, apesar dos problemas  económicos que a situação actual no trouxe, já que para além de ser uma maneira de fazer resurgir o mundo das letras, por vezes gtão esquecido, tem outro valor muito importante,  a uniã de duas culturas  tão próximas e por vezes tão diferentes, como são a espanhola e a portuguesa.

Nestas linhas agradecemosa colaboração do nosso vizinho Mourão que já em 2007 participou neste projecto cultural, uma vila cheia de história e de património cultural.  Desde os tempos pré-históricos que há registos da presença humana nesta zona.

No século  XVII mourão  sofreu  os efeitos  do terramoto  de 1755, que conjuntamente com  a disposição de trabalho,  expansão e consolidação da estrutura  defensiva  do castelo, se iniciou  no século XVII, e o estado de destruição deixada pelo inimigo levou ao redesenho das parcelas urbanas da vila. Na actualidade,  Mourão está rodeado de água do Lago de Alqueva, consolidando-se este novo recurso natural como um dos motores do desenvolvimento sustentável da vila e da região.
Incentivar tod@s @s aficionad@s da escrita a mergulhar no abismo do papel branco e da criação literária.

“Quando  escrevemos,  a mente larga a sua carga de racionalidade, permitindo que as emoções aflorem. Alivia-se assim o peso das preocupações e dos medos, conseguindo o descanso. É como deixar os nossos problemas  nas mãos de outro, permitindo-nos abrir o coração através da palavra escrita” (Mar Cantero)